Aloe Vera – Arborescens vs Barbadensis – qual a melhor?

Photo by Cecília Tommasini from Pexels
Partilha nas redes:

Cientificamente a planta “Aloe Vera” não existe. Este nome foi criado para efeitos de marketing, mas está errado.

Aloe é uma planta suculenta, perene, a sua estrutura e consistência fazem lembrar os cactos, por isso é erradamente categorizada como pertencente à família dos cactos. Embora contenha 8 aminoácidos essenciais, muitas vitaminas, ácido acetilsalicílico, colina e várias formas de lípidos, a Aloe também contém alguns sais minerais raros, como o Zinco, Manganês, Ferro, Germânio, Cromo, Magnésio, Boro e Selénio. Todos estes têm implicações importantes para várias patologias humanas, entre estas, muitas patologias degenerativas, metabolismo e doenças por deficiência.

 

Aloe
(informação mineralógica)
mg/100mlArborescensBarbadensis
Cálcio103,0012,76
Magnésio69,005,86
Potássio287,0046,32
Sódio23,0024,27
Zinco0,460,65
Ferro0,400,08
Manganês5,601,19
Selénio20,0019,00
Boro103,0079,00
Cobre0,020,004
Proteínas7,300,00

Existem mais de 500 espécies de Aloe cultivadas em todo o mundo. As espécies mais comuns utilizadas comercialmente são a Aloe arborescens e a Aloe barbadensis. Ambas têm propriedades medicinais.

Quando se fala em Aloe Vera estamos a referir-nos à variedade Barbadensis, de folha grande e flor amarela, sendo a variedade mais vendida em todo o mundo. A arborescens é outro tipo de Aloe conhecida pelas suas propriedades medicinais, que se apresenta em forma de “polvo”, com flores amarelas, vermelhas ou laranjas e as suas folhas crescem em forma de roseta, alongadas e carnudas, chegando a atingir até 4 metros de altura.

Segundo as análises do Dr. Aldo Facetti, garante que as propriedades medicinais da barbadensis, mais utilizada pela indústria por ter mais quantidade de gel, apresenta cerca de 25% do princípio activo contra o cancro, enquanto que a variedade arborescens possui cerca de 70%.

O Intituto Palatini em Veneza afirma que a arborescens é 200% mais rica em propriedades medicinais do que a variedade barbadensis.

A barbadensis e a arborescens beneficiam no tratamento de queimaduras da pele e são um excelente antibacteriano. Na última década, foram validadas propriedades anti-envelhecimento pela indústria cosmética.

A Aloe arborescens normaliza os parâmetros bioquímicos e funcionais do corpo, numa janela de tempo que varia entre 2 a 6 meses. Vamos conhecer alguns dos benefícios documentados:

  • Ajuda na regularização da pressão parcial de dióxido de carbono no sangue.
  • Ajuda na regularização da glicose no sangue, particularmente em pacientes diabéticos.
  • Suporta a redução de triglicéridos.
  • Ajuda na regularização de todo o colesterol com um aumento na relação HDL/LDL.
  • Ajuda na normalização da bilirrubina. Auxilia a normalização do ácido úrico.
  • Ajuda na regularização de Na/K, Ca/Mg.
  • Promove um aumento de hemoglobina.
  • Melhora a protecção dos sistemas gastrointestinal hepático, pancreático e renal.
  • Estimula a activação das defesas imunitárias contra infecções agudas.
  • Melhora o reequilíbrio de linfócitos em doenças infecciosas crónicas.

Existem outras espécies de Aloe com propriedades medicinais:
Aloe Ferox – é utilizada como laxante e para o tratamento de queimaduras
Aloe Perrui – é utilizada para combater os vermes intestinais e para a menstruação
Aloe Arabica – tem sido utilizada tradicionalmente para o tratamento do cancro anal.
Aloe Saponaria – “saponaria” significa que produz sabão, e por esta razão é famosa por ser utilizada para o mesmo propósito que o sabão e pelas suas propriedades medicinais relacionadas ao tratamento de doenças de pele.

 

Partilha nas redes:

rickyunic

Um projecto com mais de 15 anos, onde apresento e abordo assuntos que me interessam a cada momento da vida. Desde humor, a saúde, passando pela tecnologia, a sexualidade e a espiritualidade. Tudo é válido neste espaço. Conto consigo para passar um bom momento a dois. Peace and Love. Carpe diem. Namastê.

Também poderá gostar de...