Quantcast

[Poema] Apenas sê

Balanço docemente,
a brisa quente apodera se do meu corpo…
que prazer!

Os meus olhos fecham-se de vontade de sentir cada nota,
cada palavra como se fossem ditas por mim.

Mas eu sinto como se fossem.
Fazem me sorrir e arrepiar de emoções…

E tu, que me observas, o que olhas?

Nunca viste uma mulher saborear a beleza de estar viva,
de respirar,
de ter emoção e uma grande sensibilidade?

Ah, é verdade!
São coisas que se escondem,
coisas que não se mostram!

Não tenhas medo,
não precisas de olhar.

Faz igual,
deixa sair quem realmente és.

Para de me olhar e sê tu próprio.

Leia também:  [Poema] Um grito

Para de olhar os outros!

Não imagines,
não julgues…
apenas sê.

E deixa os outros serem,
em liberdade,
na luz.

Na escolha que cada um faz para o seu destino,
junto com aquilo que o universo propõe,
e deixa.
Apenas sê.


Até já…

0 0 VOTOS
Avaliação do artigo
🔥 Sugestões:

Serena

Uma viajante entre dimensões, inconsciente das suas verdadeiras capacidades e propósitos. Sempre em busca do equilíbrio neste estado da vida onde me encontro.

Também poderá gostar de...

0 0 VOTOS
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários