5 vitaminas que ajudam a prevenir o cancro

Photo by Trang Doan from Pexels
Partilha nas redes:

A Organização Mundial da Saúde estima que uma em cada seis mortes é devido ao cancro. Muitos médicos não admitem, mas muitos tratamentos para o cancro fazem pouco para erradicar esta doença.

Vamos falar da quimioterapia. É provavelmente o tratamento mais amplamente prescrito para o cancro em adultos no mundo inteiro. Quer adivinhar a taxa de sucesso da quimioterapia? É muito menor do que você pensa.

2 a 3%. É isso. Dito de outra forma, a quimioterapia falha 97 a 98% das vezes. Tenha em consideração os horríveis efeitos secundários do tratamento, e não é de admirar que mais pacientes com cancro queiram escolher um caminho diferente.

 

Causas potenciais para o cancro
Provavelmente não irá ficar surpreendido ao saber que o cancro pode ser causado por um grande número de factores. Os mais comuns incluem o tabaco, sol em excesso e nas horas “proibidas”, açúcar, deficiências nutricionais, má alimentação, falta de exercício, doenças sexualmente transmissíveis, exposição a toxinas, abuso no consumo de álcool, excesso de peso e – até certo ponto – predisposição genética.

Ao ler o parágrafo anterior, perceberá que temos algum controlo sobre muitas das principais causas de cancro. Por outras palavras, podemos, em alguns casos, evitá-lo. Por exemplo, o tabaco é responsável por cerca de 22% de todas as mortes por cancro no mundo inteiro.

 

O papel das vitaminas e nutrientes na prevenção do cancro
NOTA: ANTES DE INICIAR QUALQUER NOVO REGIME VITAMÍNICO, CONSULTE O SEU MÉDICO OU PROFISSIONAL DE SAÚDE ASSISTENTE!

 

“Um grama de prevenção vale um quilo de cura”
– Benjamin Franklin

 

Como mencionado, a dieta desempenha um papel fundamental na prevenção do cancro. Uma dieta equilibrada e a prática regular de exercício físico pode eliminar efectivamente dois factores de risco. Estar acima do peso e obesidade.

Com isso em mente, vamos falar de cinco vitaminas e nutrientes que podem ajudar a prevenir o cancro:

1. Vitamina D
As pesquisas mostram que as pessoas que recebem quantidades regulares de vitamina D têm um menor risco de cancro. Previsivelmente, um grande número de pessoas em países desenvolvidos não consome/recebe o suficiente dessa vitamina crucial.

Mais de 90% da vitamina D de uma pessoa vem do sol. Peixes gordos, leite com baixo teor de gordura, laranjas, cereais, fígado de bovino, queijo e gemas de ovos são boas fontes de vitamina D. Também pode considerar a toma de um suplemento alimentar de vitamina D, uma vez que existem vários de elevada qualidade.

 

RELACIONADO:  10 razões pelas quais todos precisamos de Probióticos

Deficiência de vitamina D: os principais sinais de alerta

 

2. Ácidos gordos ómega-3
A inflamação crónica tem sido associada ao desenvolvimento de vários cancros. A inflamação suprime o sistema imunitário, que nos coloca em maior risco de desenvolver todo o tipo de doenças.

Os ácidos gordos ómega-3 actuam como um anti-inflamatório natural e potente. Além disso, podem reduzir o risco de cancro. Num estudo de 2015, as mulheres que consumiram regularmente EPA e DHA, duas formas de ómega-3, apresentaram uma menor incidência de cancro da mama do que as mulheres que não consumiram.

 

3. Vitaminas A, C e E
As vitaminas A, C e E são potentes antioxidantes e eliminam os radicais livres nocivos. Se os radicais livres estiverem em níveis elevados, podem danificar os componentes celulares, incluindo membranas celulares, ADN e proteínas. Isso pode acelerar o desenvolvimento de cancro.

Estudos em laboratório mostram que os antioxidantes, incluindo as vitaminas A, C e E, impedem uma variedade de danos corporais causados pela formação de radicais livres. Como resultado, muitos cientistas acreditam que os antioxidantes podem combater o crescimento de tumores cancerígenos. Obviamente, devem ser consumidos de forma consistente.

4. Polifenóis
Os polifenóis são substâncias químicas vegetais que actuam como antioxidantes e anti-inflamatórios. Algumas pesquisas mostram que beber chá verde, que é uma poderosa fonte de polifenóis, pode reduzir significativamente o risco de vários tipos de cancro, como o cancro da mama, bexiga, esófago, ovários e pâncreas.

A única ressalva é que os extractos de chá verde não parecem ser uma ajuda. Consumir chá verde de elevada qualidade e sem açúcar pode ser a melhor opção. Se está a tomar medicamentos prescritos, saiba que as propriedades do chá verde podem causar interacções com outros medicamentos. Certifique-se de fazer algumas pesquisas ou consultar o seu médico ou terapeuta assistente.

5. Curcumina
A curcumina é o ingrediente activo do açafrão, um tempero comum usado em muitos pratos indianos e vários estudos mostram que a curcumina tem propriedades anti-cancerígenas potentes. Podem neutralizar células cancerígenas e impedir que cresçam. Até agora, a curcumina mostrou-se eficaz contra o cancro do intestino, cancro da mama, cancro da pele e cancro do estômago.

A curcumina também serve como um poderosos anti-inflamatório. Naturalmente, pode aumentar os níveis de antioxidantes no corpo. Finalmente, a curcumina pode aumentar o número de conexões neuronais no cérebro, ajudando a atrasar ou possivelmente reverter o declínio cognitivo relacionado à idade.

 

RELACIONADO:  Planta salicórnia poderá tornar-se alternativa ao sal

Enfrentamos inúmeros factores sobre os quais temos pouco controlo. No entanto, podemos permanecer positivos, sabendo que temos controlo sobre outros aspectos da nossa saúde e bem-estar. Se melhorar a sua dieta com estas vitaminas pode ajudar a prevenir o cancro. Experimente o grama de prevenção que Benjamin Franklin sugeriu.

 

 

[via]

Partilha nas redes:

rickyunic

Um projecto com mais de 15 anos, onde apresento e abordo assuntos que me interessam a cada momento da vida. Desde humor, a saúde, passando pela tecnologia, a sexualidade e a espiritualidade. Tudo é válido neste espaço. Conto consigo para passar um bom momento a dois. Peace and Love. Carpe diem. Namastê.

Também poderá gostar de...