Cuidado com o consumo prolongado de óleo de peixe e girassol!

PUBLICIDADE

 

O consumo de longa duração de óleos de peixe e de girassol prejudicam o fígado, causando alterações que podem conduzir à esteato-hepatite não-alcoólica, revelou um estudo.

O estudo conduzido por uma equipa internacional de cientistas, liderada pela Universidade de Granada, Espanha, analisou o impacto do consumo de diferentes fontes alimentares de gordura, incluindo o óleo de girassol, óleos de peixe e azeite, sobre o fígado de ratazanas.

Os cientistas verificaram que entre o azeite virgem, o óleo de girassol e os óleos de peixe, o primeiro era o que melhor preserva a função hepática ao longo da vida.

Relativamente ao óleo de girassol, observou-se que este induz a fibrose, alterações ultraestruturais, bloqueios na expressão genética e uma elevada oxidação.

O óleo de peixe demonstrou intensificar a oxidação associada à idade, diminuiu a actividade da cadeia de transporte dos electrões nas mitocôndrias e alterou o comprimento relativo dos telómeros. Os telómeros, que formam as extremidades dos cromossomas, causam o envelhecimento celular quando ficam mais curtos e cancro quando ficam mais longos.

“As alterações causadas pelo consumo de longa duração de óleos de girassol e de peixe tornam o fígado susceptível à esteato-hepatite não-alcoólica, uma doença muito grave que poderá actuar como catalisador para outras doenças do fígado como a cirrose e o cancro do fígado”, comentou José Quiles Morales, que participou neste estudo.

O investigador concluiu assim que “o azeite virgem é a opção mais saudável, o que já foi provado em relação a outros aspectos da saúde”.

 

Via: Estudo publicado na revista “Journal of Nutritional Biochemistry”, Artigo

PUBLICIDADE

Também poderá gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.