Dieta mediterrânica poderá proteger idosos contra fragilidade

PUBLICIDADE

 

A dieta mediterrânica poderá reduzir o risco de fragilidade nas pessoas mais velhas, indicou um estudo.

A fragilidade é muito prevalente entre os idosos e tem vindo a aumentar com o envelhecimento da população. Este problema está associado a uma pior qualidade de vida.

Os idosos que apresentam fragilidade sentem-se muitas vezes sem energia, têm perda de peso e massa muscular fraca. Esta população corre mais riscos de ter problemas de saúde, incluindo fracturas, quedas, incapacidade, demência, hospitalização e até morte prematura.

A dieta mediterrânica privilegia o consumo de alimentos como cereais integrais, fruta e hortaliça, frutos secos, azeite e leguminosas, entre outros. Pensa-se que a nutrição desempenha um papel essencial no desenvolvimento da fragilidade.

O estudo conduzido por uma equipa liderada por Kate Walters e Gotaro Kojima, da Universidade College London, Inglaterra, procurou descobrir se uma dieta saudável poderia diminuir o risco de fragilidade.

Para o efeito, a equipa analisou quatro estudos publicados que investigavam as associações entre a aderência a uma dieta mediterrânica e o desenvolvimento de fragilidade nos adultos mais velhos. Os estudos incluíam 5,789 pessoas de Espanha, França, Itália e China.

“Descobrimos que a evidência era muito consistente relativamente ao facto de as pessoas mais velhas que seguem uma dieta mediterrânica apresentarem um risco menor de se tornarem frágeis”, afirmou Kate Walters.

Com efeito, “as pessoas que mais seguiam uma dieta mediterrânica apresentavam em geral a metade da propensão de se tornarem frágeis durante quase um período de quatro anos do que as que a seguiam menos”.

Segundo a equipa, os achados indicaram que a dieta mediterrânica poderá ajudar os mais idosos a manterem-se activos, assim como manter a força muscular, o peso e os níveis de energia.

PUBLICIDADE

Também poderá gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.