Para onde vão os nossos amigos quando estamos a passar por uma crise?

Partilha nas redes:

Já reparou que quando algo de mau acontece connosco ou na nossa vida, alguns amigos oferecem ajuda enquanto outros simplesmente vão desaparecendo? Aparentemente, isso é mais verdade à medida que vamos envelhecendo.

 

Talvez seja o melhor amigo, um parceiro, um membro da família, ou outra pessoa sentimos que a conhecemos há uma eternidade, onde foram partilhados muitos risos, histórias engraçadas, aventuras – muitas coisas fantásticas guardadas naquela gaveta especial das lembranças. Mas, de repente, isso acontece. Percebemos a verdade que nos atinge como um soco no estômago com tanta força. É hora de deixar ir, de libertar-se dessa pessoa.

A inúmeras conversas diárias diminuem para uma frase por dia, depois apenas uma frase por semana, até que tudo o que resta é uma música estática na nossa vida. Silêncio. Foi-se.

Percebemos tudo isso apenas no momento em que realmente precisamos dessas pessoas. Precisávamos de uma ponta de agulha da amizade ou do amor, mas não havia nada.

Por norma, estas pessoas que desaparecem não vão, sem antes saber todos os detalhes da nossa crise. Logo depois, desaparecem. Ou talvez tenham dado a pseudo-pretensão de oferecer ajuda e depois desaparecem.

 

Muitas vezes, vítimas de cancro falam sobre amigos e familiares que desaparecem repentinamente, assim como o vento tempestuoso nas noites de inverno. O sol cai do céu e encontramo-nos sozinhos nesta escuridão. Ficamos a questionar a verdade dos nossos relacionamentos. Todos estes anos foram mentira? Apenas éramos amigos porque os tempos eram bons? Era real? Algumas vez importaram-se connosco? Por que as pessoas fazem isso? Elas temem que a má sorte seja contagiosa?

Segundo os psicólogos, a resposta a todas estas perguntas é SIM. As pessoas são incapazes de processar os traumas, porque não são sub-conscientemente preparadas para isso. Então, o instinto destas pessoas é desaparecerem da nossa vida. Todos nascemos com um instinto inato como todos os animais. Isso é importante para a sobrevivência.

Segundo alguns estudos, quanto mais as pessoas se sentem vulneráveis, mais difícil pode ser a conexão com outras pessoas. Algumas pessoas simplesmente não se sentem à vontade com a adversidade. É o mesmo tipo de sentimento que muitos de nós sentimos quando vamos visitar alguém ao hospital – o que vamos dizer? Como podemos ajudar? Sentimo-nos estranhos e fora da nossa zona de conforto.

Acreditar que distanciar-se dos traumas alheios de alguma forma nos tornará mais seguros, é algo que nós seres humanos irracionais não podemos deixar de o fazer.

 

RELACIONADO:  40 imagens que provam que o mundo é um lugar louco [PARTE 2]

Quando as coisas más nos acontecem, muitas vezes são uma bênção disfarçada, pois força-nos a identificar melhor vários aspectos da nossa vida. Assim, podemos conhecer uma pessoa há vinte anos e agora podemos saber como ela vai reagir quando precisarmos dela. Começamos a questionar se isto é algo que poderíamos perdoar e esquecer.

As pessoas entram nas nossas vidas em diferentes momentos e de diferentes formas. Aquelas tardes de verão ao sol, a rir até as lágrimas escorrerem pelo nosso rosto. Aqueles telefonemas com fofocas sobre o nosso dia. Aqueles passeios ao final da tarde. Essas memórias vão sempre existir em algum lugar e serão sempre bonitas. E o que nos fez sorrir valeu sempre a pena.

 

A nossa vida está sempre em constante mudança. Somos todos viajantes neste caminho da vida.

Não significa que precisamos de caminhar para sempre com alguém que um dia caminhou connosco durante alguma fase da nossa vida. Isso não é bom nem é mau. Simplesmente é a vida.

À medida que vivemos e crescemos, evoluímos. Os nossos caminhos tornam-se diferentes. Às vezes, as coisas más ajudam-nos a reconhecer coisas que nunca fomos capazes de identificar antes. Talvez percebamos que, se seguirmos na mesma direcção, mais à frente há uma tempestade, e por isso, necessitamos de mudar a nossa direcção antes que as nuvens cheguem. Embora talvez seja necessário que o seu parceiro desta caminhada se molhe na tempestade que haveria mais à frente.

Tudo tem um começo e um fim, as coisas que tínhamos ontem podem não estar amanhã. É muito importante aprender a fechar capítulos nas nossas vidas, porque é isso que significa viver – mudar e renovar.

Aprecie os momentos partilhados que existiram e que fizeram sorrir. Com a sua própria tragédia, aprenda sobre os vários tipos de força interior. Aprenda a mergulhar no amor a si próprio – verdadeiramente. De todas as pessoas no mundo, somos os únicos da nossa espécie. E agora temos biliões de células dentro de nós e tudo o que importa é trabalhar sem parar para garantir que vamos continuar aqui, da melhor forma possível.

 

RELACIONADO:  O poder da atracção - abra a sua mente para um mundo de infinitas possibilidades

Se você (leitor) está a ler este texto, então significa que passou por uma situação destas. Esqueça o que tem sido até agora. Concentre-se nos momentos do presente. Saiba que vai criar novas amizades e vai amar novamente. Hoje pode ser difícil de lidar com isto, mas amanhá você será mais feliz e vai iniciar um novo capítulo. Em todas as etapas da nossa vida, há prazer, algo positivo e algo novo. A vida é muito curta para não ser apreciada. Antes que tenhamos consciência disso, todos nós iremos embora deste mundo. Num piscar de olhos, o meu corpo não terá mais vida para continuar a escrever esta mensagem para si. E você não terá mais vida para ler as minhas palavras para si.

Lembre-se que esta é a beleza da vida – tudo é fluído, nada permanece o mesmo. Quando algumas dessas mudanças acontecem, algumas pessoas podem deitá-lo abaixo e outras vão deixá-lo sem fôlego de tanta felicidade – e essas são tão especiais que valem a pena lutar sempre.

Tudo muda, tudo passa, tudo é reinventado. E nós também. Evoluímos como pessoas, não somos estáticos. A pessoa que éramos ontem, não é a mesma pessoa que somos hoje. Crescemos, amadurecemos, envelhecemos e morremos.

 

Nada, nesta vida, é definitivo ou igual para sempre.

 

Carpe diem.

Partilha nas redes:

rickyunic

Um projecto com mais de 15 anos, onde apresento e abordo assuntos que me interessam a cada momento da vida. Desde humor, a saúde, passando pela tecnologia, a sexualidade e a espiritualidade. Tudo é válido neste espaço. Conto consigo para passar um bom momento a dois. Peace and Love. Carpe diem. Namastê.

Também poderá gostar de...