Depressão sazonal afecta mais mulheres que homens

PUB

 

A desordem afectiva sazonal (DAS) afecta substancialmente mais as mulheres do que os homens, indicou um estudo recente.

A SAS normalmente inicia no outono e pode prolongar-se até ao início do verão e caracteriza-se por um conjunto de sintomas como depressão, falta de energia, fadiga e falta de interesse nas actividades que normalmente dão prazer ao indivíduo, ou anedonia.

O estudo conduzido por uma equipa de investigadores do Instituto de Saúde e de Bem-Estar da Universidade de Glasgow, na Escócia, contou com a investigação de dados relativos a 150.000 adultos que faziam parte de uma base de dados clínicos britânica com meio milhão de pessoas.

Os investigadores procuraram identificar sintomas depressivos, anedonia, cansaço, e sensação de desânimo nos indivíduos da base de dados. Foi também analisada a ligação entre os sintomas de depressão, duração da mesma, e as temperaturas exteriores médias.

O estudo revelou que as mulheres experienciaram variações sazonais nos sintomas de depressão, cansaço e anedonia, variações estas que não foram encontradas nos homens. Adicionalmente, aqueles sintomas eram mais prevalentes durante os meses de inverno.

Estes resultados verificaram-se após terem sido tido em consideração factores de estilo de vida e sociais, como consumo de álcool, prática de exercício físico e fumar.

Foi ainda apurado que os dias mais longos foram associados a uma redução nos sintomas de desânimo e de anedonia nas mulheres, mas também a um aumento do cansaço.

Daniel Smith, que colaborou neste estudo, declarou que os resultados confirmam investigação anterior que demonstrou que as mulheres podem apresentar uma maior tendência para sofrerem variações sazonais na depressão do que os homens. Falta agora descobrir porquê.

PUB

Também poderá gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.