Open Source Sofware

O que é a felicidade? E por que é importante?

Photo by nappy from Pexels
Partilha nas redes:

O que é a felicidade? Parece uma pergunta estranha, não é? Consegue definir a felicidade? Você acha que a felicidade é a mesma coisa para todas as pessoas?

As pessoas agonizaram-se com esta questão durante séculos, mas só recentemente a ciência começou a dar a sua opinião. Antes de eu entrar em detalhe sobre as conclusões da ciência, permita-me começar com algumas respostas a uma pergunta um pouco mais fácil: o que não é felicidade?

 

Felicidade não é sentir-se bem o tempo todo
Muitas vezes perguntam se uma pessoa que consome cocaína todos os dias é feliz. Se nos sentirmos bem o tempo todo fosse o único requisito, então a resposta seria sim. Um humor estável é mais saudável psicologicamente do que um humor em que se atinge picos de felicidade com alguma regularidade. Além disso, quando se pergunta às pessoas o que faz a vida delas valer a pena, raramente dizem alguma coisa sobre o seu humor. São mais propensas a dizer alguma coisa que achem significativo, como o trabalho ou relacionamentos.

 

Felicidade não é ser rico ou poder pagar tudo aquilo que queremos
Ainda que viver na pobreza dificulta sermos felizes, mas se esta condição for superada, o dinheiro parece não comprar felicidade. Imagine que ganha um aumento de 500 euros por mês. Embora, certamente, você ficaria entusiasmado a curto prazo, seria apenas uma questão de tempo até que as suas expectativas mudassem para se adequar ao novo orçamento. Antes de se dar conta, seria tão feliz quanto era antes deste aumento. Isso vale para casas, carros, gadgets novos e todos os outros bens materiais que as pessoas gastam tanto tempo a desejá-los. A única excepção a esta regra é quando você gasta o seu dinheiro em experiências com outras pessoas; então, se gastasse os 500€ extra em escapadinhas de fim-de-semana para lugares novos e empolgantes, ou passeios, jantares e cultura com os seus amigos ou família, então poderia ser mais feliz. No entanto, raramente esta é a forma como as pessoas escolhem gastar o seu dinheiro.

 

Felicidade não é um destino final
O antigo adágio “Já chegámos?” é frequentemente aplicado a discussões sobre a felicidade, como se uma pessoa trabalhasse rumo à felicidade e um dia “chegasse lá”. Ao contrário da crença popular, a menos que você seja um dos poucos que são geneticamente felizes de forma natural, é necessário um esforço regular para manter a felicidade. A maioria das técnicas para nos tornarmos mais felizes (por exemplo, escrever diariamente num diário as coisas pelas quais somos e/ou estamos gratos) são hábitos, e não acções que são praticadas apenas uma vez. A maioria dos eventos que nos fazem mais felizes a curto prazo, como nos casarmos ou sermos promovidos, perdem o seu brilho ao longo do tempo, à medida que nos adaptamos a eles.

 

RELACIONADO:  Tudo na vida tem um preço a pagar. Está disposto a pagar esse preço?

Então, o que é a felicidade?
Os estudos sugerem que a felicidade é uma combinação do quanto você está satisfeito com a sua vida (por exemplo, se está satisfeito com o seu trabalho) e o quão bem você se sente no dia-a-dia. Ambos os factores são relativamente estáveis – isto é, a nossa vida muda, e o nosso humor flutua, mas a nossa felicidade geralmente é mais determinada pelos nossos genes do que qualquer outra coisa. A boa notícia é que, com esforço consistente, isso pode ser compensado. Você tem a capacidade de controlar como se sente e, com prática consistente, pode adquirir hábitos duradouros para uma vida mais satisfatória e gratificante.

 

Prazer versus Felicidade
A felicidade, embora não seja um estado permanente, é um estado mais estável que o prazer. A felicidade geralmente permanece por mais tempo, enquanto o prazer pode vir e ir em apenas alguns segundos.

O prazer pode contribuir para a felicidade, e a felicidade pode aumentar ou aprofundar os sentimentos de prazer, mas os dois também podem ser completamente exclusivos.

 

Que factores aumentam a verdadeira felicidade pessoal?
De todas as várias teorias descobertas sobre a felicidade, sabemos que existem alguns factores que são muito importantes para a felicidade geral:
-Renda mensal individual
-Estatuto no mercado de trabalho
-Saúde física
-Família
-Relações sociais
-Valores morais
-Experiência de emoções positivas

Todos estes factores podem contribuir para uma vida mais feliz, mas os estudos descobriram que os bons relacionamentos são um ingrediente vital. Quando somos felizes nos nossos relacionamentos mais importantes, tendemos a ser mais felizes.

 

Podemos aprender a ser mais felizes?
A resposta é SIM – podemos aprender a ser mais felizes.

Para melhorar a felicidade geral, o método mais eficaz é examinar a lista dos factores indicados acima e trabalhar para melhorar a qualidade das suas experiências em cada um deles.

Por exemplo, pode trabalhar para auferir um salário mais alto, melhorar a sua saúde, trabalhar no desenvolvimento e manter relacionamentos de elevada qualidade e, em geral, encontrar formas de incorporar sentimentos mais positivos na sua vida diárias.

 

RELACIONADO:  Quanto mais cedo entendermos que a vida está em constante mudança, mais felizes vamos ser

Por que a felicidade é tão importante?
Pode estar a perguntar-se por que a felicidade é considerada um aspecto tão importante da vida, dado que existem vários componentes para uma vida mais feliz.

Parece que a satisfação com a vida, o significado e o bem-estar podem estar ligados à felicidade. Mas a felicidade não é necessariamente o objectivo geral de todos na vida. Ainda assim é importante porque apresenta alguns benefícios inegavelmente positivos e factores co-ocorrentes.

 

Afinal, o que há de tão bom na felicidade?

1. As pessoas felizes são mais bem-sucedidas em vários domínios da vida, incluindo o casamento, amizades, renda mensal, desempenho no trabalho e saúde.
2. As pessoas felizes adoecem com menos frequência e têm menos sintomas quando ficam doentes.
3. As pessoas felizes têm mais amigos e um sistema de apoio melhor.
4. As pessoas felizes fazem mais doações a causas ou instituições sociais (e fazer doações também nos faz mais felizes).
5. As pessoas felizes são mais úteis e mais propensas a se voluntariar – o que também nos faz mais felizes.
6. As pessoas felizes têm mais facilidade em caminhar pela vida, já que o optimismo alivia a dor, a tristeza e o sofrimento.
7. As pessoas felizes têm uma influência positiva sobre os outros e incentivam à busca da felicidade.
8. As pessoas felizes envolvem-se em conversas mais profundas e significativas.
9. As pessoas felizes sorriem mais, o que é benéfico para a saúde.
10. As pessoas felizes exercitam-se com mais frequência e comem de forma mais saudável.
11. As pessoas felizes são felizes com o que têm, em vez de ter inveja dos outros.
12. As pessoas felizes são mais saudáveis e têm maior probabilidade de serem saudáveis no futuro.
13. As pessoas felizes vivem mais do que aqueles que não são felizes.
14. As pessoas felizes são mais produtivas e mais criativas.

 

Espero que este artigo tenha sido útil e informativo e que você tenha aprendido algo novo sobre a felicidade.

Qual é a sua opinião sobre a felicidade? Qual é o ingrediente que você acha mais importante para a sua própria felicidade? Deixe-me saber a sua opinião e/ou resposta a estas questões na secção de comentários abaixo.

 

Espero que encontre a felicidade em todos os capítulos da sua vida.

Carpe diem.

Partilha nas redes:

rickyunic

Um projecto com mais de 15 anos, onde apresento e abordo assuntos que me interessam a cada momento da vida. Desde humor, a saúde, passando pela tecnologia, a sexualidade e a espiritualidade. Tudo é válido neste espaço. Conto consigo para passar um bom momento a dois. Peace and Love. Carpe diem. Namastê.

Também poderá gostar de...