Pausas a cada 20 minutos para quem está muito tempo frente aos ecrãs

PUBLICIDADE

 

Regular o ar condicionado e fazer pausas a cada 20 minutos, olhando para longe, são algumas recomendações dos especialistas para compensar as excessivas horas frente ao computador, que apesar de não trazerem lesões permanentes provocam alterações e queixas.

“Uma das medidas é seguir a regra dos 20-20-20, ou seja, parar a cada 20 minutos durante 20 segundos e olhar para uma distância de 20 pés, que é cerca de seis metros”, explicou à Lusa Fernando Vaz, responsável pelo grupo de ergoftalmologia da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO).

O especialista reconhece que “cada vez mais as pessoas usam computadores, ‘tablets’ ou ‘smartphones’ e, por isso, estão cada vez mais expostas a um esforço de visão para perto, que exige mais atenção, com o olho mais aberto e que pestaneja menos, ficando por isso mais seco”.

Fernando Vaz, que falava a propósito do Congresso Português de Oftalmologia, sublinha que o uso dos computadores ou “tablets” não traz “lesões irreversíveis”, mas apenas “lesões pontuais”, que dão queixas e podem ser compensadas com medidas preventivas.

O responsável coordenou um estudo numa empresa de “tele-performance”, que analisou cerca de 80 funcionários.

Segundo explicou, a investigação concluiu que os trabalhadores que tomavam medidas preventivas como as pausas a cada 20 minutos, o lubrificar do olho com lágrima extra, o cuidado com o regular do ar condicionado, tentando manter alguma humidade, conseguiam facilmente recuperar das lesões provocadas pela longa exposição ao ecrã (mais de duas horas).

“Não há baixa de visão, nem lesões permanentes. Há apenas lesões pontuais enquanto estamos a usar computador por longos períodos, mas que se conseguem controlar com algumas medidas preventivas”, acrescentou.

O especialista explica que “o olho está preparado para ver ao longe” e recomenda aos pais que regrem o uso dos equipamentos electrónicos aos filhos, insistindo nas pausas a cada 20 minutos, “para olhar para longe e dessa forma relaxar os músculos usados na visão de perto e estimular os outros”.

Indicações do responsável pelo grupo de ergoftalmologia da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia

via

PUBLICIDADE

Também poderá gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ajude-nos adicionando o nosso site à sua whitelist do adblock. A publicidade ajuda-nos a oferecer-lhe informação livre e gratuita. Obrigado.

Já imaginou viver numa época onde toda a informação é manipulada?

Detectámos que está a utilizar um bloqueador de anúncios.

Por favor, considere adicionar o nosso site à sua lista de sites permitidos.

Os custos para manter um site activo são relativamente elevados.

Ao apoiar os sites independentes está a contribuir para o acesso à livre informação.

Obrigado!